Jogo The Grand Tour (PS4)

Previsto para ter lançamento em 15 de janeiro de 2019, o jogo do programa sobre carros com Jeremy Clarkson, Richard Hammond e James May (que substituiu Top Gear UK e chegou pela Amazon Prime) vem com a promessa de colocar o jogador dentro do show, atrás do volante. Isso, por si, parece interessante de largada, como colocado na PS Store “num minuto você está vendo os apresentadores se metendo em alguma confusão automotiva… no outro você mesmo está pilotando o mesmo carro, no mesmo lugar, com mesma chance de escangalhar tudo.”, porém até onde pude me informar a respeito ele parece sair dos trilhos exatamente aí.

A começar, a proposta do jogo de corrida da Amazon Games baseado em The Grand Tour é trazer semanalmente durante a terceira temporada do programa novos episódios de The Grand Tour Game, paralelamente, puxando carros, locais e desafios a medida que o programa real for progredindo. Deste modo, o jogo faz transições entre clipes do programa e as partidas disponibilizadas. Então, é um jogo que começa “pequeno” e vai crescendo a medida que o ano for passando e mais episódios reais forem saindo. Quem, porém, deixar pra pegar depois, receberá o jogo com todos os episódios lançados até então (ou até mesmo a temporada completa, se demorar que nem eu para comprar um jogo novo).

Outro ponto observado por quem teve acesso antecipado é que a física do jogo é bastante estranha, bem distante de Forza ou Gran Turismo, que seria mais o ideal pra quem curte jogos de corrida e direção, mas que faz algum sentido quando se sabe que a equipe de desenvolvimento do jogo é formada por desenvolvedores de títulos como Burnout e Need for Speed, jogos bem mais arcadistas que com apelo de simulação. Mesmo super carros são mais dóceis de guiar nele do que o mesmo modelo em Project Car 2, por exemplo, conforme relatos de quem jogou o beta.

O ponto em The Grand Tour parece ser justamente algo mais leve, ligado ao que acontece com o programa do que algo efetivamente voltado aos carros em si, então é um jogo pra quem gosta mais do show do que das máquinas em si. E isso, no peso final, é ruim.

E isso se faz presente quando se descobre que a pré-compra lhe dá, por exemplo, o carro ecológico de Hammond (o do meio, na imagem acima), que no fim tem mais a ver com o entretenimento do programa do que com a experiência de direção.

E pelas próprias imagem de divulgação se percebe que o jogo é ruim de formas diferentes, primeiramente pela física proposta se for como dito nos relatos, que é esquisita a quem está acostumado com jogos de corrida, e segundo que para 2019 (que é quando será lançado), o visual está bastante datado, nascendo com cara de jogo velho. Dependendo de como olhar para ele, soa como um jogo da geração passada, como na imagem abaixo.

Os modos de jogo dentro dele vão além da carreira e possui um multi-jogador local, com até 4 participantes em tela dividida, que se resume a um bate bate de uns contra outros para fazer oponentes girar.

E, ainda, como citei, existe o modo carreira que segue os episódios do programa com diferentes modos, desde competições assumindo o lugar de um dos apresentadores contra os outros dois, prova contra o relógio, ou mesmo fazendo um dos apresentadores sujar as calças por meio de manobras, ou de soltar fumaça para atrapalhar a direção dos demais.

Por fim, é um jogo a se ficar de olho, mas diria que de forma receosa, com alguma distância. Ele está em pré-venda na PS Store por R$ 91,90, que é metade do preço corrente de um jogo full, já indicando que está longe de ser um título de ponta, sem um investimento pesado.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *